BLOG

No dia 23 de março, o músico Mário Adnet apresenta seu novo álbum autoral “Saudade Maravilhosa” em Belo Horizonte, no Teatro Bradesco. O trabalho traz seis faixas inéditas das oito autorais do CD e um arranjo brasileiríssimo para o clássico do jazz “Caravan” (Juan Tizol e Duke Ellington), atestando toda a inventividade do artista. No roteiro está a “Valsa do Baque Virado” com João Cavalcanti e uma versão de “Nanã” do mestre Moacir Santos.

Mario Adnet também regravou neste recente disco a canção “Viver de Amor”, de Ronaldo Bastos e do mineiro Toninho Horta, com quem tem forte ligação. “Quando eu era adolescente, 17 anos, ouvi pela primeira vez uma música do Toninho, me bateu de uma forma avassaladora, ele tem uma proposta harmônica e melódica absoluta, que eu nunca tinha vista de tal maneira. Nessa época eu tocava muito as músicas dele em casa, com meu irmão Chico, que também é músico. Passávamos a tarde investigando e nos divertindo com suas composições. Depois, Toninho e eu nos tornamos amigos”, conta.

Ao longo da carreira como arranjador, compositor, violonista e produtor, Adnet tem se revezado entre sua produção e um mergulho profundo nas obras de autores-chave da música brasileira, como Villa- Lobos, Tom Jobim, Baden Powell e Vinícius de Moraes. Junto com Zé Nogueira fundou, em 2001, a Orquestra Ouro Negro, que celebra a obra do maestro pernambucano Moacir Santos.

“Olhar para outros compositores me permite ter um leque maior de opções na música. Sempre trabalhei de forma independente, acostumado a me preocupar não somente com a minha arte, mas também com a produção e o arranjo”, afirma.

Vencedor de seis Prêmios da Música Brasileira, em 2004 ganhou, com Paulo Jobim, o Grammy Latino de melhor CD Clássico por “Jobim Sinfônico”, também indicado ao Grammy Americano em 2005, na categoria CD Crossover. Teve também as indicações ao Grammy Latino: em 2016 com Jobim Jazz Ao Vivo (melhor álbum de jazz latino); em 2015, com Dori Caymmi, com o álbum Dorival Caymmi Centenário (produtores do ano e melhor disco de MPB); 2013 com Um Olhar Sobre Villa-Lobos (melhor álbum de música clássica); e 2006, com Zé Nogueira, com o CD Choros & Alegria – Moacir Santos (melhor álbum instrumental).

A apresentação em Belo Horizonte conta com a participação especial de sua filha, a violonista, cantora e compositora Antonia Adnet. “Tenho muitos amigos e gosto muito da noite em BH. Já me apresentei diversas vezes na cidade, que tem um público muito especial, que gosta e aprecia música. Sinto uma diferença danada no público mineiro, ele respeita a música”, revela.

Além de Antonia, Mario será acompanhado pelos músicos Marcos Nimrichter (piano), Jefferson Lescowitch (contrabaixo), Rafael Barata (bateria), Eduardo Neves (sax tenor, soprano e flautas) e Everson Moraes (trombone).

 

SERVIÇOS:

Data: 23 de março de 2017

Horário: 20 horas

Local: Teatro Bradesco (Rua da Bahia, 2244 – Lourdes)

Ingressos: R$ 40 (meia entrada para idosos, estudantes, sócios do Minas Tênis Clube e clientes Bradesco)

Onde comprar:

http://www.compreingressos.com/espetaculos/7897-saudade-maravilhosa-mario-adnet

Informações: (31) 2626-1015